Invenção






Por aquela porta
os sentimentos escaparam
entre a ventania das  incertezas
e os tantos descasos
que o tempo inventou

Comentários

  1. Por aquela porta, não entrei,
    quando cheguei estava fechada
    tanto bati nela, tanto esperei
    por mim ninguém esperava!

    Levou a chave,
    fechou a porta
    tudo o vento levou
    ficou a saudade
    o tempo passou
    mais não volta!

    Grande poder de imaginação,
    tens tu amiga Lia Noronha
    não permitas que alguém ponha
    trancas na porta da felicidade do teu coração!

    Desejo-lhe uma boa tarde, envio um abraço para você.
    Eduardo

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por entrar pela porta poética do pura poesia..querido Eduardo.
    abraços meus

    ResponderExcluir
  3. Belos versos!
    Não há portas que tranquem sentimentos quando regados a Incertezas e descasos.

    Grata pela visita.

    PS: Não entendi porque você deixou abraços para o amigo Felisberto em meu blog.

    ResponderExcluir
  4. Aba aberta do blog do amigo Felisberto...confundi-me ao clicar,desculpe-me Vera Lúcia.abraços meus e obrigada pela visita carinhosa ao meu Pura poesia

    ResponderExcluir
  5. Mar aravel: que bem ter sua visita por aqui.Obrigada!!

    ResponderExcluir
  6. Tudo sempre escorre
    pelas vãos da porta.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  7. André: uma semana de paz pra ti.abraços

    ResponderExcluir
  8. Por aquela porta
    entrou o ressentimento,
    o ciúme e a posse.
    Sufocando o amor,
    destroçando o momento...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bela composição Andra.Obrigada pela carinhosa visita ao meu espaço poético.
      bjins carinhosos

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

mesa posta

viagem incomum