libertação



prendo-me a que?
se as armadilhas são feitas 
de prisões imaginárias
e cada caminho insinua
outro caminhar
e o descontínuo não querer
celebra uma verdade libertadora.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

mesa posta

viagem incomum