Braços





No afago do vento
ele rema livremente
porque sua liberdade
deu-lhe braços fortes e
sempre abertos para o mar

Comentários

  1. Oi vim de fazer uma visita espero vc no meu cantinho tbm bjs.
    http://drea-amigos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Andrea: obrigada pela visita.Irei conhecer seu espaço..abraçoss

    ResponderExcluir
  3. Não há liberdade sem braços...
    Um magnífico poema/pensamento.
    Gostei, querida Lia.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada querido Nilson por tda a sua gentileza nas palavras e na visita ao meu espaço poético.bjinsss

    ResponderExcluir
  5. ... e porque o mar é (foi) o princípio de todas as coisas!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

mesa posta

viagem incomum