Liberdade







No transeunte
o amargor na boca
de quem não tem chances de se expressar.


Parece mesmo que as portas fecham-se 
ou na verdade nunca se abriram.
Tudo não passou de uma miragem
que festejou nos seus olhos
o banquete da liberdade.

Comentários

  1. "O banquete da liberdade" só muito dificilmente é conseguido, mas ainda assim devemos lutar por ele.
    Magnífico poema.
    Querida amiga Lia, bom fim de semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Nilson: sua presença deixa o meu Pura poesia muito mais inspirado..volte sempre!!
    bjinss

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

mesa posta

viagem incomum